Dia #03 – LONDRES

Caramba, tenho que parar de ficar vivendo aqui no mesmo ritmo do Brasil. Ontem fui dormir super tarde dando notícias daqui pra vocês.. kkkk
Meeeesmo assim, 7:50 já estava de pé para descer às 8:00 para o café da manhã. Na verdade não esperava grande coisa do breakfast do hostel, acho que justamente por isso fui surpreendido! Às 8:00 em ponto (4 da matina daí) estava no café diante de uma cafézinho que impôs respeito! Banana, maçã, suco de laranja e maçã, leite, quatro tipos de cereal, café, chá, pães de forma, uma torradeira, manteiga e muuuuitos tipos de geleia.. ah fala sério, tava esperando um mistão e café com leite..Se rolar, amanhã, tenho fotografar algo!

Fim do café, subimos, nos trocamos e com 20 minutos de internet já tínhamos decidido o roteiro para hoje: Uma visita ao “Hyde park”, um passei pelo “Science Museum” e tudo mais que houver nas redondezas. Certo, neste ponto enfrentamos nossa primeira dúvida: como nos locomover? De metrô já tinhamos uma noção de que estação pegar mas não sabíamos ao certo a onde descer e se tarvez seria necessário trocar de linha (temos mapas, cérebro e boca, podemos chegar até em Roma) . De bus não sabíamos nada então, fomos tentar o bus!

Tirando dúvidas com desconhecidos sobre como proceder, descobrimos que existe um “Oyster card” que, quando carregado com libras, pode-se usar o metrô e o bus livremente (ou quase)! Mesmo assim, não fizemos. Tinha que pagar uma taxa de 5 libras pelo cartão e as corridas não pareciam tão baratas.. O que queríamos na verdade era dar um sinal, entrar em um bus, dar um cache ao trocador (que aliás não existe), pegar o troco e sentarmos, bem simples, bem Brazil.

Impossível! Não tem essa de dar sinal, eles sempre param o bus no ponto, não tem trocador, não há como andar se o motorista não tiver troco para seu cache (e quase sempre ele não tem), mesmo que vc implore para ele FICAR COM O TROCO; “No Sir, it’s impossible”. Enfim, depois de muuito quebrarmos a cabeça, tomamos a decisão mais acertada do dia: Vamos a pé!

Nas vésperas da viagem um professor tinha me dito que só era possível conhecer de fato uma cidade em que passamos poucos dias se sairmos andando a pé por ela. Dito e feito, mal sabíamos quanta coisa bacana encontraríamos no caminho (de mais de duas horas)..

Sem muitos detalhes, saímos andando errantes pelas ruas, becos, parques, praças e castelos de London, quanta foto conhecida só em livros de história! Muitas homenagens a pessoas já mortas, muitas referências a guerras, muitas coisas que nem sabia o que era tbm.. Aí um gostinho!

Esquilos, ganços (ganços?) entre noutro bixos andando e se deixando fotografar livremente nos parques!

Olha que maneiro, sem termos feito planos, caminhamos pela “Constitucion Hill”, chegamos no “Palácio de Bunckinghan” bem no momento da “THE CHANGING OF THE GUARD”, ou seja, a A Troca da Guarda Real !!

Guarda estressada enxotando os turistas

Eles ficavam gritando algumas coisas bem alto

 

Dizem que quando a bandeira está estiada sobre o palácio é pq a rainha está em casa.. Fazendo o que será?

  

No caminho, encontramos um cantinho que parecia ser dedicado só para a ex-colônia predileta, a filha mais bonita, Austrália! Como não fazer pose? kk

“Can you take a picture for us, please? thx”

Chegamos ao museu já mais de meio dia e, a fome já tinha apertado de novo. Melhor comer antes de entrar! Encontramos um pequeno centro e fiquei impressionado com os prédios, a limpeza das ruas, os carros de luxo, o estilo das pessoas, enfim, tudo que vimos nessa região.

Depois de rodar um pouco, perguntar preços, ver o tamanho das porções, decidimos pelo restaurante “Chopstix” um lugar simples de comida chinesa.

Paguei 5,5 libras por uma caixinha com qualquer três itens da bancada acima, mais 1 libra por um refrigerante (desconhecido) de laranja. Almoço: 6.5 libras.

Terminando o almoço fomos ao museu, mas confesso que estava um pouco cansado por causa da caminhada (e das poucas horas de sono) e nem tivemos muito ânimo para fotografar nada.. Além do mais, haviam algumas atrações mas todas começariam ainda dentro de uma hora.. Enfim, ficamos rodando aonde dava-se para andar no museu.. Vimos muitas máquinas a vapor e suas réplicas remontando-nos à revolução industrial a qual a Inglaterra foi pioneira. Coisas futuristas, motores, carros, aeronaves… É, bacana, mas acho que eu estava meio enfastiado, e resolvemos voltar pro hostel, descansamos um pouco, e seguirmos para o destino noturno, dessa vez de metrô, claro.. No caminho, encontramos um músico de rua, cheio de estilo dentro do túnel do metrô fazendo um rock. Quando fui fotografa-lo, ele fez pose, riu, deu atenção.. claro, só por isso, a máquina perdeu o foco, perdeu a pose, e avacalhou o esquema. :/ Sempre os eletrônicos. Rlx! Aí o resultado.

Chegamos e desmaiamos cochilamos. O Allan tem um amigo do Brasil que já esta em Londres há uma semana (para ficar mais de um ano) e então combinamos via internet com esse amigo de irmos ao “Waxy O’Corners”, um lugar que ele já conhecia e recomendava. No caminho, claro, mais coisa maneira! Acho muito doideira como Londres consegue atender ao gosto de todos; na rua, de forma geral, encontra-se gente de toda a Europa, americanos, brasileiros, orientais, australianos, todo mundo parece ter alguma identificação com essa cidade. Até eu! To curtindo a minha!

Fail, muita luz de background.

Waxy o’corners

Esqueci de dizer, a partir de agora fazemos tudo de metrô.. depois que chegamos ao hostel perguntamos à portuguesa (em português, yeeees o/) sobre o cartão oyster e ela nos explicou tudo direitinho.. Vale a pena sim!
Ahhh claro, o momento mais non-sense do dia! Estávamos de boa no Waxy o’Corners, quando repentinamente ouvimos RAGATANGA do ROUGE! kkkkkk.. Nem nas piores festas dos anos 90 do Brasil tocava isso.. Quem tiver coragem de assistir aos europeus curtindo isso, aí vai o vídeo..

Falar mais o que né? FIM!
21/09/2014
Iniciante no Mundo

0 thoughts on “Dia #03 – LONDRES

  1. kkkkkkkkkkkkkkkkkk…
    Estou daqui acompanhando as suas peripécias!
    "Olha lá quem vem virando a esquina vem Diego com toda a alegria festejando!"…

    vc mostrou pros gringos sua habilidade dançando o "Aserehe"????

    =)

  2. Oi Gu, que dia cheio né! Amei as fotos….os lugares são incríveis e as poses também. Percebo que ainda está brigando com os horários né….adaptação leva um tempinho. Sei que aí já é de madrugada, mas mesmo assim, boa noite! Amanhã nos falamos, no horário que for melhor pra vc. Bj!

  3. Os horários estão uma bagunça mesmo, mas estou tentando organizar tudoo.. Já to pegando o jeito de escrever e postar as coisas mais rápido! Fique tranquila 🙂
    Beijo, te amo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *